Conheça a Tragetória do Melhor apresentador de programas Policiais do País.
Assine a 1ª lista de discussão do Alborghetti na Internet
Assine a Lista de Discussão do Alborghetti
Digite seu endereço de e-mail: 
Alborghetti: msgs pela Web
An e-group hosted by FindMail's eGroups.com
 


Toda a Carreira do Maior Deputado Paranaense e maior apresentador Policial do País.
Antes de ler as páginas ou considerar como verdade todo o conteúdo, leia a explicação do porque que elas mesmo atualizadas ainda estão incorretas em partes

O Início: Desde muito cedo, Alborghetti já trabalhava em rádio. Descobriu sua vocação para ser Jornalista Policial quando foi designado a narrar um crime. Alborghetti iniciou na Rádio Tabajara de Londrina em 1976, onde criou o programa que viria a ser o "CADEIA" na Televisão. Em 1979, Alborghetti estreia na Tv Tropical, canal 7 de Londrina, o programa "CADEIA", que no rádio também se chamava "CADEIA". A TV tropical, inaugurada em 1976, foi a primeira emissora de José Carlos Martinez, dono da CNT. Até 1982, a TV Tropical foi a cabeça de rede da "REDE OM de Televisão", Retransmissora da Bandeirantes. Com a inauguração da emissora de Curitiba (canal 6),a TV Tropical deixa de ser cabeça de rede. Alborghetti então leva o Cadeia p/ todo o estado do Paraná.  O "Cadeia", criado inicialmente para a cidade de Londrina em 1979 , tinha 5 minutos de duração e com o tempo foi aumentando, chegando a ter, aos sábados, 1h45min de duração (até 1994).Alborghetti se destaca pela maneira de apresentar seus programas. Com uma toalha no pescoço e um pedaço de pau na mão, ele desce o Cacete na mesa quando algo o irrita (fato copiado por Ratinho e idolatrado pela imprensa IDIOTA desse país que o venera "pela sua coragem"; mera cópia do que Alborghetti já fazia, por exemplo,  em 92, quando entrou pela 1a vez em Rede Nacional).



Antes de ler as páginas ou considerar como verdade todo o conteúdo, leia a explicação do porque que elas mesmo atualizadas ainda estão incorretas em partes

Trajetória na CNT: O programa do Alborghetti na CNT, o CADEIA, foi expandido para todo o estado do Paraná em 1982. Um reporter desfalcou a equipe em 1986, Alborghetti então precisou de alguem para ocupar seu lugar. O Sr. Carlos Roberto Massa havia deixado uma dívida na TV Tropical em Londrina. A direção da "OM" então pediu que Alborghetti deixass-o fazer parte de sua equipe, e assim ele estaria pagando a dívida. Alborghetti desde que começou apresenta o programa do jeito que o tornou famoso: dando porradas na mesa, xingando os bandidos, etc...  Ratinho foi seu repórter até se eleger deputado federal em 1990, com o apoio do Alborghetti. Antes, ele se elegeu vereador, também com a ajuda do Alborghetti. Em 1986, Alborghetti se elege deputado estadual. É reeleito em 1990, 1994 e 1998.  Em 1992, a rede OM deixa de retransmitir a programação da Rede Bandeirantes e vira uma rede nacional independente: a direção da emissora o convida para fazer um programa em rede nacional. No dia 11 de maio de 1992 estréia, em rede nacional, o programa "Cadeia Nacional". Em algumas localidades (como por exemplo no Rio de Janeiro e Paraná), Alborghetti ia ao ar 2 vezes: ao meio dia e quarenta e cinco (versão paranaense do Cadeia), e as 18:15 (versão Nacional). Em pouco tempo o programa atingia 3 pontos no IBOPE em SP(cerca de 250 mil telespectadores, o que p/ uma emisssora recém-lançada e que tinha sua sede fora do eixo Rio-SP já era bom demais. Hoje, com 6 anos de existência, essa é a média de audiência da Rede CNT). Em 23 de setembro de 1992, o "Cadeia Nacional" deixa de ser transmitido para a cidade de São Paulo: alguns dias antes, Alborghetti fala umas verdades sobre o ex-governador de São Paulo Orestes Quércia e este exige a retirada do programa. O programa continua p/ o resto do país, onde também tinha um sucesso muito grande. Em 23 de maio de 1993 a rede OM passa a ser chamar CNT (o nome OM estava envolvido em vários escândalos políticos na época). Toda a programação muda e o "Cadeia Nacional" sai do ar (segundo entrevista do então superintendente operacional da CNT, Eduardo Lafond, para o jornal O Globo do mesmo dia, "O programa não havia emplacado ao ser exibido em rede nacional". O que não deixa de ser mentira, já que era uma das maiores audiências da emissora e até hoje, passado 5 anos, ainda é bastante lembrado). Alborghetti então continua com seu "Cadeia" de 2ª; à Sexta 12:45 às 14 hs e aos sábados 12:45 às 14:30 apenas para o Paraná e para algumas cidades de fora do Paraná.
Em maio de 1994, o SBT anuncia a estréia de seu horário de novelas com "Éramos Seis" às 19:45, horário que antes era ocupado pelo "Aqui Agora 2ª edição". A CNT então tenta aproveitar o público do Aqui Agora (que passaria a ser exibido às 20:40) e coloca Alborghetti para apresentar outra versão do Cadeia: o "Cadeia Neles" (bordão que ele usava na época do "Cadeia Nacional", quando, logo após o fim reportagem , ele usava esse bordão e descia o cacete nos bandidos que eram colocados atras dele, através de efeitos gráficos. Esse mesmo recurso ele utilizou até maio de 94, no programa CADEIA e voltou a utilizar agora em 99, mas agora ele utiliza um televisor ao invés de efeitos gráficos). O programa contava com equipe em SP, Rio, Paraná e Mato Grosso. Alborghetti chegou escrachando: denunciou o tráfico de drogas no Rio De Janeiro, chamou o comando Vermelho de "bando de bichas", etc.... Quatro dias depois da estréia (a estréia foi em 1° de maio), o "Cadeia Neles" sai do ar em SP, por problemas com a TV Gazeta(os mesmos problemas de 1992), retransmissora da CNT em SP. Três semanas após a estréia, ia ao ar a última edição do "CADEIA NELES" para todo o Brasil. Alborghetti se despediu de seu público e afirmou que em outubro estaria de volta em rede Nacional, fato esse que não chegou à acontecer naquele ano....
    No dia 23 de maio de 1994, Alborghetti se despede de seu público, mas dessa vez também no "CADEIA": como iria disputar eleição, ele teria que ficar fora do ar até o final das eleições. JP, conhecido radialista policial do Paraná, assume seu lugar e o "Cadeia" muda de nome: passa a se chamar programa Polícia.
 No dia 8 de outubro de 94, JP anuncia a volta de Alborghetti ao programa Cadeia . Só que nesse fim de semana Alborghetti,insatisfeito com algumas coisas na CNT, resolve deixar a emissora. Sem saber o que fazer, a CNT coloca provisoriamente Ratinho para apresentar o "CADEIA", que, segundo o próprio na estréia, seria menos político e mais policial que antigamente (Alborghetti não se limitava só a comentar apenas os fatos policiais). Chegava ao fim o lendário "CADEIA". Com Ratinho e Canário, o programa passou a ser menos sério e menos policial que antes. A marca CADEIA, propriedade do Alborghetti continuou sendo usada pela CNT indevidamente com a saída do Alborghetti.
Antes de ler as páginas ou considerar como verdade todo o conteúdo, leia a explicação do porque que elas mesmo atualizadas ainda estão incorretas em partes


Alborghetti na TV Independência: Após sair da CNT, Alborghetti vai  para a TV Independência, Canal 7 de Curitiba, que na época retransmitia a rede Manchete (onde hoje ela retransmite a Rede Record, a Rede Manchete é transmitida pela Rede Exclusiva) e leva toda a equipe do Cadeia, menos o repórter Augusto Canário, que preferiu ficar na CNT (onde comandou o CADEIA entre 96 e 98). Ele passa então a fazer um programa aos sábados chamado "Alborghetti proibido para menores de 18 Anos" com reportagens fortes em penitenciarias e bocas de fumo do Paraná. Depois de algum tempo, seu programa passa a ser diário, concorrendo com o "Cadeia".  O programa dele segue o estilo que o consagrou, com matérias fortes, ao contrário do "CADEIA"(sem o Alborghetti), que era mais "leve". No dia 13/04/98, o programa Alborghetti passou a se chamar "ALERTA GERAL". Como Alborghetti disputou sua reeleição, de julho à outubro de 98, o repórter Siboney Nascimento (de Curitiba) passou a apresentar o programa. No dia 30/12/1998 foi ao ar o ultimo programa "Alborghetti": o contrato com a Independência chegou ao fim naquele dia e a emissora tinha planos de acabar com a programação local, transmitindo apenas toda a programação da Rede Record/SP. Alborghetti então fica pouco mais de um mês fora do ar, negociando com outras emissoras, até fechar com a CNT no dia 03/02/1999.



Alborghetti de volta à CNT: após sair da Independência, Alborghetti negocia com algumas emissoras, entre elas a Bandeirantes (eles tinha planos de lançar o Alborghetti em Rede, mas o Alborghetti recusou por que ele teria que abandonar o Paraná e o mandato de Deputado Estadual para ir pra SP), TV Exclusiva (retransmissora da Manchete) e com a CNT.  Ele acabou fechando com a CNT no dia 03/02/1999. Pelo contrato, a CNT devolveria a marca "CADEIA" ao Alborghetti, que criou essa marca e registrou-a em 1976, quando o programa foi lançado na Rádio Tabajara de Londrina. Apartir do dia 13/02/1999, a CNT passou a veicular as chamadas do seu novo contratado, mas apenas p/ a Região de Curitiba. Até então, o "Cadeia" passaria a se chamar "Cadeia Sem Censura". Na última semana de fevereiro, passou a ser veículadas as chamadas anunciando o programa para o dia 1° de Março, e com o novo título do programa: "Cadeia Alborghetti". No dia 25/02/99, a CNT perde o sinal do satélite BrasilSat. Segundo a imprensa, a Embratel cortou o sinal por falta de pagamento. Mas o sinal Digital da CNT continua no mesmo satélite. Segundo o Alborghetti, em 15 dias (ele anunciou isso no dia 03/03/99), o sinal analógico da CNT voltará ao satélite e as emissoras da CNT de Londrina e Maringá passarão a exibir o Cadeia. No dia 27/02/99, ele participa do programa "Ponto de Encontro" e dá uma prévia do que será o programa. Ele agradece ao carinho com que foi recebido na CNT e no final o apresentador do programa, o Ogier Buchi, fez um relato sobre algo que aconteceu com o filho do Alborghetti na infância (o Luiz Eduardo Alborghetti), que acaba emocionando o Alborghetti. A aparir do dia 01/03/99, Augusto Canário, que até então apresentava o Cadeia, ganhou um programa de prestação de serviços às 11hs da manhã, e em seu lugar no CADEIA assumiu Luiz Carlos Alborghetti. Logo de início houve uma homenagem à volta do Alborghetti à CNT, e depois dessa homenagem, ele agradeu à diretoria da CNT, principalmente à Monica Martinez, que criou o belo cenário do Cadeia (e também dos programas "Ponto de Encontro" e "Augusto Canário") e a abertura do programa. Também estreiou o boneco "AMADEU" ("escreveu não leu, sentou no colo do Amadeu ") ,o Macaco "Caco" e a Banana "Nana". O Cadeia recuperou o estilo que o consagrou e melhorou muito com a volta do Alborghetti. Já no segundo dia de programa ele mostrou o que acontece com os fetos de mães que usam drogas e o que acontece com o fígado de um álcoolatra e o pulmão de um fumante. O programa vai ao ar das 13:10 às 14:00 hs p/ Curitiba e p/ algumas retransmissoras da CNT fora do Paraná. Até o fim de Março o programa entra em Rede Estadual (só no Paraná) e em 03 de Maio, ele entra no ar em Rede Nacional, com o "CADEIA NACIONAL" (que reestréia depois de 6 anos fora do ar).

Antes de ler as páginas ou considerar como verdade todo o conteúdo, leia a explicação do porque que elas mesmo atualizadas ainda estão incorretas em partes
 
 

Depois que Alborghetti saiu da CNT, houve 4 (ou 5) propostas para ele voltar:
A possível volta à CNT (1): No começo de 1996 a CNT convidou Alborghetti para que retornasse a emissora, já que a audiência do "Cadeia " havia despencado após sua saída. A idéia da CNT era colocar novamente Alborghetti em rede nacional, mas ele recusou. Com sua recusa, a CNT estreou em 01 de julho de 1996 às 18:15 (mesmo horário em que 4 anos antes apresentava o "Cadeia Nacional") o "190 Urgente", com Ratinho (que fora repórter de Alborghetti e que o substituiu no Cadeia) e com reportagens em SP, Rio e Paraná.


 





 A possível volta - 2: Ratinho vai para a Record no começo de setembro de 1997. Interinamente, Augusto Canário passa a apresentar o 190 Urgente. Alborghetti foi indicado para substituir Ratinho, mas ele recusa (comenta-se que o Alborghetti chegou a assinar com a CNT). A CNT  contrata então Wagner Montes (pior coisa que eles fizeram, que custou o fim do programa).

A possível volta - 3; Novembro de 1997: A audiência do 190 Urgente despenca e a CNT tenta convencer Alborghetti a voltar, para assumir o 190 Urgente. As negociações não dão em nada. Caso desse certo, no lugar de Alborghetti na TV Independência entraria o Repórter Barbosa Netto (mais um clone mal-feito do Alborghetti), da CNT de Londrina (Tv Tropical, onde ele apresenta um programa policial Regional e que atrapalhou a estreia do CADEIA no dia 1° simultaneamente com Curitiba, por motivos banais.)

A possível volta (?), parte 4, 12 de Fevereiro de 1998: No aniversário de Alborghetti, Canário homenageia seu "Eterno Professor" no programa CADEIA. O 190 Urgente abre espaço para Alborghetti. Por telefone, ele conversa com Wagner Montes, critica a violência dos desenhos da Globo   e critica a MTV e o João Gordo, que, segundo Alborghetti, "descem o cacete" nele, só por que ele proibiu a Banda Planet Hemp de se apresentar no Paraná. Alborghetti também elogiou o Wagner Montes e disse que o programa "deveria ser exibido as 20:30 p/ criar consciência nas pessoas" (Ele deve ter dito isto para ser educado). Alguns meses depois Wagner Montes sai do programa por incompetência.

A possivel volta, parte 5: Abril de 1997. A CNT arranca à força o Wagner Montes do 190 Urgente. Mas uma vez Alborghetti recusa a vaga e a CNT contrata Sergio Micheloni, um desconhecido da cidade de Assis, PR.Segio estreiou no dia 20/04/1998. No dia 07/05/1998 a CNT troca Sergio Micheloni por Augusto Canário, ex-reporter do Alborghetti e o único da equipe que não trocou de emissora junto com ele. A CNT deu pouco tempo p/ o Canário tentar recuperar a audiência e em 05/06/98 foi ao ar a última edição do 190 Urgente.
Veja mais nas ultimas do Alborghetti
Antes de ler as páginas ou considerar como verdade todo o conteúdo, leia a explicação do porque que elas mesmo atualizadas ainda estão incorretas em partes


Toda a carreira do Deputado Alborghetti: >>
www.silber.com.br/mariano/alborghetti3.html
<< Índice das páginas do Alborghetti:
 http://www.silber.com.br/mariano/alborghetti.html
 Visite a página da Campanha do Alborghetti p/ deputado pelo Paraná:

 http://www.geocities.com/paris/arc/8215


 






Agradecimentos:Thiago Gardinali, Paulo Henrique e Marcello Braganceiro.
OBS: as opiniões expressas aqui são de responsabilidade do Webmaster da página, não expressando talvez a mesma opinião do Alborghetti ou dos colaboradores.



 



mariano@silber.com.br



Home | 190 Urgente | Cadeia | Página2 | Alborghetti (Índice das páginas)